quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Os dias em Capeside

Uns querem Pasárgada. Eu quero Capeside. Uma cidadezinha interiorana no sul dos Estados Unidos. 
Enquanto isso tenho que aproveitar e enjoar dessa correria. Das distâncias nas ruas largas e sem semáforos da capital. Do barulho da vizinhança. Do estresse da rotina. Da noite em diferentes restaurantes. Da seca bruta e da chuva teimosa.
Mas quando chegar a hora eu quero ir pra Capeside. Eu já a invento durante as fugas da cidade. Pegamos o carro e respiramos um pouco de natureza. De paz e tranquilidade. Lá não existe hora certa. Nem mesmo o relógio importa. A hora é a gente que faz.
Em Capeside vai ser assim também. Lá naquela casa grande pra nós dois. Toda branca. Com uma varanda na frente e só silêncio do lago da frente. O jardim cuidado. Nós já estamos craques em jardinagem e culinária com todo o tempo livre ao nosso favor. A cidade não fica longe, mas também não é muito grande. Ela é tranquila assim como as nossas fugas. Os nossos dias são recheados de amor. Aquele que só a gente entende. Eu de mau-humor e você me arrancando sorrisos ao me provocar.
Lá vamos lembrar da nossa juventude corrida. E riremos das minhas crises de ciúmes. Da sua vontade de abraçar o mundo de uma vez só e conhecê-lo inteiro em apenas um dia. Recordaremos com saudade do tempo das crianças pequenas. Da arte que elas aprontavam e a dificuldade de fazê-las comer. 
Serão tempos bons. Assim como os de hoje que às vezes eu esqueço de valorizá-los como deveria. 


6 comentários:

aline disse...

largue o desassossego da cidade grande por um outro tipo de desassossego em uma cidade do interior. tem hora que desespera!
acho que eu não fiquei tempo suficiente no caos, na poluição, do corre-corre...

Del Santana disse...

Que texto bonito. Fiquei imaginando eu e o meu namorado em um lugar assim também :) Fiquei desenhando o lugar em minha cabeça.

Gostei disso: "Serão tempos bons. Assim como os de hoje que às vezes eu esqueço de valorizá-los como deveria". Muitas vezes deixamos de valorizar o presente só pensando no que poderia ter sido ou no que será, né?

Beijo

Flá Costa * disse...

é assim mesmo amiga: esquecemos de valorizar nosso dia a dia.
achei lindo o texto todo para variar.

beijos e saudade - faz tempo que não conversamos!

Prazer, Pam disse...

[Assim como os de hoje que às vezes eu esqueço de valorizá-los como deveria. ] ..preciso aprender a não esquece-los afinal eles correm né?

Que texto gostoso moça, deu vontade de ler +..

Bjs

Ana Luísa disse...

Precisamos mesmo dar mais valor aos nossos dias! Sejam eles em cidades grandes, ou no interior. Um pouco da nossa tranquilidade, com certeza, somos nós que dosamos!
Beijos!

Ovelha Negra disse...

Ei Renata, vi que vc passou pelo blog. Sobre o filme Meia noite em Paris eu assisti mas não tive essa "reflexão", um brinde aos pontos de vista, por isso é tão gostoso trocar idéias. Eu não tinha gostado do filme, agora vou assistir novamente com outro olhar.
Passa por, lá sempre que quiser. Seu blog, muito lindo sempre.
beijinho