segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A espera do arco-íris

Era outro réveillon com a família. Sabia que nada de excitante iria acontecer. Passou apenas duas viradas de ano longe deles. Da primeira vez pagou caríssimo por uma festa que nem se fez valer pela bebida.Da segunda e última, foi em uma festinha de conhecidos que durante a contagem regressiva estava bêbada demais e sozinha demais pra abraçar e receber o abraço de alguém.
Sabia que iria ter a companhia de vários brasileiros, apesar de não estar no Brasil. Não criou muitas expectativas. Ainda bem. O ponto alto da noite foi aquele hambúrguer só de pão e carne.
Mas nem ligou porque 2012 é número par e significa sorte para ela. Porém o ano não começou da melhor maneira.
Na volta para casa todos os voos atrasaram. Perdeu o último voo e a mala ficou em outro lugar que não era  destino final.
As chuvas de Brasília misturadas com o calor e o ar condicionado de Buenos Aires já a deixaram gripada. Acordou um dia com um torcicolo que quase imobilizou o pescoço. Bateu forte na porta com a testa. Foi na biblioteca pra pegar livros e ela estava fechada.
Achou que era hora de parar de superstição. O ano anterior foi difícil, mas teve seus momentos felizes. O ano novo não seria diferente.
"Depois da tempestade vem sempre o arco-íris". Lembrou dessa frase.

3 comentários:

aline disse...

meu ano começou com um arco-íris. espero que seja um sinal pra um ano colorido.

Manu disse...

Gostei da forma como vc escreve...
E sobre os dias melhores, eles sempre vêm...
=]

Jéssyka disse...

Belo texto. Isso me fez lembrar que nesse réveillon a minha virada não foi muito legal não, então voltei pra casa cabisbaixa. Dia seguinte estava chovendo e eu fui dar uma volta de carro, ainda do mesmo jeito. Logo, me deparo com um arco iris na minha frente enquanto a chuva parava aos poucos. Lindo. Beijão e feliz 2012!