domingo, 16 de outubro de 2011

A caixa

Hoje foi um daqueles dias dramáticos em que a TPM está no auge. A gente fica com raiva, medo, triste e carente sem saber direito o porquê.


Mas hoje eu não conseguia parar de pensar se eu precisava mesmo passar por isso todo mês. Depois de desperdiçar uma tarde que poderia ter sido divertida, vi mais uns três capítulos de Sex and the City e decidi relembrar algum sentido e parar com toda aquela besteira de deixar os hormônios vencerem o meu dia.


Depois de algum tempo abri uma caixa grande, enfeitada com quadrinhos coloridos que fica no meu guarda-roupa, em baixo das minhas calças.


Ontem mesmo eu afirmei que não deveríamos ter passado. Mas eu só esqueci de um detalhe: é a partir dele que nós somos e fazemos o hoje. Depois de ver tantas fotos antigas, percebi que o passado não é algo tão ruim.


Tantas experiências, amizades, momentos... E na maioria deles, um sorriso.
Então pra que complicar tanto, mulher?
Por que em vários instantes a gente se esquece. Eu esqueço que eu sorrio. Ainda tenho muito por sorrir.